terça-feira, 14 de abril de 2009

Sobre Annael, meu guia "estelar"


Annael é uma entidade que se diz ser de Sírius e cuja presença se tem mantido ao longo do meu crescimento.

Quando era criança, via em casa, um homem vestido de branco, que normalmente passava no corredor e no quarto onde eu dormia.

Quando ele surgia durante a noite, eu sentia medo, pois ele não falava comigo. Ficava aos pés da cama, simplesmente a olhar para mim e a fazer “luminescências” na parede. Surgiam imagens do que parecia ser água colorida e em movimento ondulante que seguia de baixo para cima, em direcção ao tecto. Surgiam bolhas, sons, luzes e ele os acompanhava movimentando lentamente um dos braços, ao mesmo tempo que olhava para mim.

Trazia sempre uma espécie de roupagem larga e comprida, estilo monge, com um capuz que lhe cobria a cabeça.

Quando estava sozinha em casa durante o dia, sentia por vezes a sua presença, que na maior parte das vezes parecia estar no corredor.

Acredito que a presença dele sempre me acompanhou ao longo dos anos, até á actualidade, pois quando o vejo, além das recordações, vejo nele algo de familiar e sempre presente ao longo das várias fases da minha vida.

Em 2004 tive um contacto com ele, muito marcante para mim, no qual ele me deu o que em aspecto se assemelhava a uma âncora de luz amarela, muito forte. Isto aconteceu no terraço, para onde eu tinha sido chamada e onde tudo aconteceu.

Este contacto marcou o inicio de uma etapa nova, pois a partir dessa data, ele passou a estar mais presente e a lidar comigo como sendo um guia ou um mestre.

Recebi vários ensinamentos dele, alguns muito marcantes, pois da mesma forma que ele é “dócil” e terno, pode ser rigoroso e austero quando necessário. Julgo que faz parte do processo de quem está a aprender e comete alguns erros pelo caminho.

Numa noite, em 2004, fui levada por ele para um local que ainda não sei identificar, mas parecia ser localizado no que parecia ser um subterrâneo amplo, de grandes dimensões, pois não via as paredes, nem o topo.

Percorremos um caminho de pedra lisa até chegarmos a uma escadaria feita com o mesmo tipo de pedra. A pedra era branca e a escadaria parecia ser feita a partir de apenas um bloco, apesar de ter grandes proporções e de ser muito comprida. Era ladeada nos dois lados por conjuntos de pilares que terminavam no topo em bico, tal como a estrada por onde andámos.

Quando chegámos á base da escadaria, ele mandou-me esperar enquanto ele subia até ao patamar, que ficava bem afastado. Chegado ao patamar, voltou-se para mim e mandou-me subir. Timidamente obedeci, mas com um certo receio, pois sentia que ele me ia "ralhar".

No momento em que ia pisar no segundo degrau, Annael mandou-me parar e eu fiquei ali no primeiro degrau a olhar para ele para tentar reter o máximo de pormenores para recordar mais tarde e registar em papel.

No patamar onde Annael se encontrava, havia o que parecia ser um portão alto, feito de um material que parecia ter brilho próprio. Annael estava em frente a esse portão. De cada lado havia um pilar de pedra, alto, igual á pedra da escadaria e da estrada.

Fiquei ali a observar, até que Annael começou a emitir um halo de luz, o qual pensei ser a sua aura. Do portão começou a ser projectado uma luz branca muito brilhante e da aura de Annael começaram a ser projectadas em todas as direcções, o que pareciam ser umas "chispas" douradas. Tudo aquilo parecia ser grandioso e um pouco "celestial", tal como as imagens que vemos sobre anjos e os seus brilhos.

Quando olhei para Annael á espera que ele fizesse alguma coisa ou falasse, ele disse-me o seguinte:

"Vês? Ainda tens muito que subir até chegares a mim!"

Vi quantos degraus havia entre nós e eram muitos. Olhei para ele lá em cima e senti-me "pequena". Foi um sentimento esmagador. Algo fiz de errado, pensei.

Quando dei por mim, estava de volta ao quarto. Não digo que isto tenha sido uma experiência no plano físico, mas foi muito forte e marcante.

Além de mestre ou instrutor, Annael age por vezes como um protector.

Posso descrevê-lo como sendo uma entidade bastante “elevada” espiritualmente, que transporta em si muito conhecimento, algum dele bem antigo, o qual gosta de partilhar conforme a preparação de quem o recebe.

Annael é muito alto em relação a mim, que tenho 1,60m. Calculo que meça entre 1,90 a 2m de altura. Tem ombros largos e rectos e constituição larga, apesar do seu porte atlético. O cabelo é farto, loiro muito claro, risco ao meio, apresentando algumas madeixas quase brancas. Apresenta também ondulações e chega um pouco abaixo da linha dos ombros. A sua pele é muito clara, parecendo pálida, tem olhos azuis e as pupilas assemelham-se á dos gatos, sendo vertical e negra. São maiores do que os olhos dos seres humanos, mais rasgados e ligeiramente oblíquos no canto externo (ligeiramente subido).

A sua testa é alta e ao nível do “3º olho”, um pouco acima do nível das sobrancelhas, tem o que parece ser um “quartzo negro”, em forma de losango, ligeiramente saído, que parece fazer parte da sua constituição. A cana do nariz é longa, menos saída do que a dos seres humanos e a zona das narinas não é tão pronunciada. As “maçãs” do rosto são um pouco largas e ligeiramente saídas. A boca é mais pequena e os lábios são mais finos e claros. O maxilar inferior é bem delimitado e o queixo é fino.

Presentemente, continua a apresentar-se com um traje branco e comprido que se assemelha ao de um monge e que reflecte as várias tonalidades luminosas do ambiente, fazendo por vezes um “efeito arco-íris”. Por vezes tem o capuz a cobrir a cabeça e noutras ocasiões, trás o capuz para trás, revelando a sua cara na totalidade.

Sei que tem vestido um fato azul debaixo desse traje branco, pois quando não tem o capuz na cabeça, vê-se perfeitamente uma gola alta, aberta á frente, de cor azul, que parece também reflectir as cores e as luzes do ambiente em volta. Certos movimentos com os braços, deixam ver as mangas azuis desse dito fato, que julgo ser um uniforme.

Posso dizer que todos os seus movimentos físicos parecem ser realizados de um modo controlado e subtil, mesmo o tipo de andamento, que mostra firmeza e ao mesmo tempo, transmite subtileza e sensibilidade em relação ao ambiente onde se encontra. Julgo que adapta o modo de se movimentar, conforme o tipo de ambiente, pois já o vi a ter formas diferentes de realizar os movimentos noutro tipo de ambientes. A sua postura é direita e nota-se que não tem qualquer problema de saúde, nem qualquer tipo de deformação óssea, como é habitual nos humanos.
A sua voz é masculina, suave e de tom mediano.

Consegue criar formas luminosas tridimensionais e quando ele as exibe, estão em movimento, como se fossem reais. Annael diz que é uma característica da espécie dele, que a desenvolveu ao longo da sua evolução. Possui capacidades telepáticas, telecinéticas e outras consideradas por nós como “faculdades paranormais”.

É uma entidade que sempre se mostra interessado na humanidade e no nosso planeta que ele define como “colónia” e como “foco activo, gerador de vida”.

Está directamente ligado a tudo o que se relaciona com medicina bioenergética e espiritual, bem como com a história da evolução humana. Faz parte de um conselho de entidades, ao qual chamei de “Conselho de Sírius”, por ser essa a sua origem e porque os outros membros que dele fazem parte, se vestem de modo semelhante e têm também a mesma aparência física, alterando um pouco nos cabelos.

Resumindo, Annael para mim é um Mestre, um guia espiritual e um protector, cuja origem é Sírius.

Várias pessoas sentiram a sua presença e as transformações ambientais que ele consegue gerar, bem como sensações físicas no corpo. Algumas dessas pessoas, segundo me contaram, chegaram a ver o seu vulto claro e alto.

Yavith

4 comentários:

  1. Mas isso é verdade ?
    quer dizer...ja li historias de raptos de pessoas por extraterrestres e uma delas comentou ter visto a mesma entidade la dentro.
    Estou muito intigrado com isso :S

    ResponderEliminar
  2. isso é veridico ou mitologia?
    estou muito intigrado com este ser porque li relatos de pessoas que dizem terem sido raptadas por e.t.'s e que viram este ser :S:s

    ResponderEliminar
  3. Olá.

    Tudo o que aqui relato é real, bem como a descrição que faço sobre Annael e de outros. Sei que a grande maioria das coisas que descrevo neste blogue, acontece com milhares de pessoas de todo o mundo. É um facto e não um mito ou ficção. Já existem evidências a serem estudas. No lado direito, uma pouco mais abaixo, podes ver fotografias reais, tiradas por mim, antes ou após estes acontecimentos.

    A presença e manifestação de Annael, por exemplo, já foi testemunhada por outras pessoas que se encontravam presentes.

    Sei que é um assunto polémico, que parece ter sido tirado de um filme de ficção cientifica, mas acontece que a realidade é muito maior e muito mais abrangente do que aquilo que pensamos.

    ResponderEliminar
  4. Yavith,


    Saudações!



    O meu nome é Flávio...claro que acredito em seus relatos...sei que nossa origem é do absoluto, porem sinto que tenho raizes em Sirius...SInto isso!

    Uma vez fiz um dezenho de um rosto, em pequeno pedaço de papel...se parecia muito
    com essa imagem de seu mentor.muito semelhante.

    Continue seu trabalho irmã, que Deus PAI/MÂE te abençoe!


    Namaste!

    ResponderEliminar