terça-feira, 12 de maio de 2009

Calibragem de Maio de 2008

Na noite de 14 para 15 de Maio de 2008 vivi outra experiência, a qual vou relatar de seguida. Na época em que isto me aconteceu, relatei a alguns amigos (aos mesmos de sempre, que me têm acompanhado na minha jornada) e relatei a outra pessoa que conheço, que publicou parte do relato com a minha autorização, num outro site.

Na manhã do dia 15, ao preparar-se para o banho, notei que pouco acima do joelho esquerdo estavam quatro pontos escuros (três em cima e um mais abaixo). Conscientemente recordo-me de ter sido levada e submetida a alguns procedimentos médicos, entre os quais o que envolveu o uso de um pequeno aparelho escuro, que foi conectado ao corpo, na zona acima do joelho esquerdo.

Esse aparelho era de porte pequeno, ligado a um fio comprido, que por sua vez, estava ligado a um outro aparelho, semelhante a uma consola. O aparelho tinha na ponta de ligação com o corpo, umas pequenas agulhas que por vezes transmitiam uma corrente eléctrica, ou estímulos eléctricos, deixando a perna momentaneamente dormente e uma sensação localizada de ardor na pele, cada vez que isso ocorria.

Tal como me tinha sido indicado anteriormente (no evento que envolveu a presença de uma entidade muito alta e de coloração amarelada), recordei de tudo, ou quase tudo e posso dizer que o que aconteceu, foi pura e simplesmente uma das muitas “calibragens” às quais costumo ser submetida para verem o nível em que me encontro e para ver se é necessário fazerem alguns ajustes, o que foi o caso. (Leiam o que escrevi sobre o assunto em http://blogueyavith.blogspot.com/2009/04/sobre-as-tao-faladas-calibragens.html)

Mantive-me calma durante todo o processo, tendo apenas momentos de ansiedade quando iniciava um exame novo, ou quando o desconforto físico aumentava.

O espaço onde me encontrava era bastante iluminado e o tom de luz que predominava era o amarelo e o branco. Basicamente encontrava-me numa espécie de sala laboratorial, cujo chão era escuro e brilhante e as paredes claras e iluminadas. Predominavam os aparelhos médicos, ecrãs, consolas, ou o que pareciam ser consolas, botões de várias cores, que parecia ser digitais, fios ligados a alguns aparelhos altos que estavam perto de duas paredes e claro… no lado oposto á entrada encontrava-se a marquesa ou mesa de exames, bem iluminada e fria. Parecia moldar-se ao corpo, cada vez que me mexia.

Quanto às entidades envolvidas, eram altas, pareciam ser homens. Deslocavam-se muito subtilmente, mas firmes, tranquilos por natureza, pele clara, cabelos claros, olhos claros, vestiam-se de branco e as suas roupas reflectiam as cores das luzes em volta. Eram médicos autênticos… pelo menos agiam como tal.

No final dos procedimentos: “Tudo pronto, podes regressar. Já terminámos”.

Após isto que me foi dito, dou comigo de volta ao meu quarto, como se tivesse sido "puxada" de volta.

Tirei fotografias ao joelho, para registar as marcas deixadas pelo dito aparelho. Podem ver uma das fotografias em:

2 comentários:

  1. Isso até pode ter sido feito com um intuito positivo, mas verdade seja dita... issi arrepia só de pensar na possibilidade de poder acontecer com as pessoas, quando estas estão a dormir. O facto de serem retiradas da segurança das suas casas, sem que as pessoas possam ter o controlo sobre a situação, é assustador.

    ResponderEliminar
  2. Bolassss... Já li varias histórias identicas em que as pessoas relatam terem sido abduzidas por extraterrestres. Isso é a mesma coisa?

    André

    ResponderEliminar