quinta-feira, 7 de maio de 2009

Contactos telepáticos? Já me aconteceu...

Um dos assuntos que mais polémica e ironia trás para os cientistas, dores de cabeça para investigadores e armas de arremesso para os cépticos, é o da suposta comunicação mental com extraterrestres ou com entidades de outras dimensões e de outros planos . Nenhuma das formas de transferência mental de informações, tais como a telepatia, "canalização", leitura da mente, etc, foi considerada cientificamente segura e comprovadamente real até aos dias de hoje.

Todavia, a crença nestes fenómenos persiste ao ponto de alguns governos terem realizado no passado experiências que envolviam a exploração do poder mental ou paranormal, para fins militares e de espionagem... é o caso da telepatia e da chamada "visão remota".

Actualmente estes acontecimentos são frequentemente aceites como reais, por parte de um grande número de pessoas, especialmente aquelas envolvidas no estudo de tudo o que é envolvido pelo chamado "fenómeno OVNI". Alguns pesquisadores de abduções, visando apresentar dados concretos e convincentes sobre este assunto ao público em geral, assim como à comunidade cientifica e aos críticos em geral, são por vezes confundidos com estudiosos vocacionados para o espiritismo e para a tão falada "New Age (Nova Era)".

Pelo que já se apurou em estudos anteriores, a forma de transmissão de mensagens entre seres humanos e visitantes de outros locais, tende a ser telepática em pelo menos 95% dos casos. Esta é uma correlação estatística inacreditavelmente alta, que coloca a incidência desta forma de comunicação bem acima da possibilidade de ser fantasia das testemunhas e pelos abduzidos. De facto, se a imaginação e a fantasia fossem a origem para tais acontecimentos, deveríamos receber uma variedade sem fim de descrições de comunicações manifestadas. Isso simplesmente não acontece, porque os relatos falam das mesmas coisas... o que muda é o modo como são descritas e interpretadas.

Apesar da alta incidência de telepatia ser narrada na quase totalidade dos casos estudados, raras são as testemunhas que usaram o termo "telepatia" para descrever a sua experiência durante a recordação dos factos. Em vez disso, cada testemunha relata as ocorrências de forma distinta. Seguem alguns exemplos desses relatos:

"Eu não ouço vozes, mas posso ouvir os pensamentos dos extraterrestres".
"(...) é como se os pensamentos deles estivessem na minha cabeça. Não sei como faço isso, mas simplesmente sei o que eles estão a falar".
"Não oiço com os meus ouvidos, mas com a mente. Isto é estranho!"
"Eles sabiam exactamente o que eu pensava e davam as respostas directamente na minha cabeça".
"(...) os olhos deles são penetrantes e falam sem que a sua boca se mova. Os seus pensamentos são como uma voz clara na minha mente".

Todas as pessoas que relataram tais situações interpretam a forma de comunicação usada, como sendo algo lógico e de difícil compreensão.

Alguns dos abduzidos ou contactados falam sobre receber comunicação telepática entre uma experiência e outra, sem haver envolvimento directo. Apesar deste tipo de situação se assemelhar a uma "canalização", estes falam que as mensagens são recebidas inesperadamente, interrompendo o seu trabalho ou alguma actividade que estejam a fazer na altura, sem aviso algum, sem solicitação ou objectivo definido. Tais testemunhas frequentemente acrescentam que as mensagens são inconvenientes, indesejadas, confusas ou muito complexas.

Posso aqui descrever algo que me aconteceu (Yavith) no dia 12 de Dezembro de 2008, para poderem entender este tipo de acontecimentos e como afectam a vida de quem os vive. O que vou relatar de seguida já foi descrito e partilhado noutro site e com mais pessoas que se interessam pelo assunto e está conforme o enviei para o dito site, por isso, desculpem-me o "copy past":

"Encontrava-me no meu quarto, a conversar com a minha amiga Cristina Cosmelli através do Messenger, quando subitamente o ambiente do quarto se alterou. Foi tão intensa a alteração que senti-me zonza, com vontade de fechar os olhos e simplesmente me deixar adormecer. Isto ocorreu por volta das 12h10, mais coisa, menos coisa. Mesmo a sentir-me mal com o ambiente e com os sintomas descritos, continuei a conversa.

De súbito, senti a minha “vontade própria” a ser travada, como que a ser posta por alguém em “stand-by”. Limitei-me a fixar o olhar para o monitor enquanto puxava uma folha A4 em branco e um lápis para registar algo que era suposto eu registar. A minha vontade deixou de estar sob o meu controlo e passou a ser controlada por uma fonte exterior a mim. Sentia a minha mão a escrever e não conseguia tirar os olhos do monitor, cujas imagens estavam paradas… como que “congeladas” no tempo. Sentia a minha energia a aumentar e os batimentos cardíacos acelerados e fortes. Sentia-me cercada por uma energia muito forte que me prendia e um peso enorme em cima de mim. Não se manifestou como sendo uma energia negativa… era diferente.

Por incrível ou absurdo que pareça, durante os minutos em que isto ocorreu, não me apercebi de qualquer barulho da rua. Não ouvia os carros a passarem, não ouvia as pessoas… nada. A minha rua é uma das principais do bairro, onde passam constantemente carros, autocarros e pessoas. Isto durou, segundo a minha percepção de tempo na altura, uns 2 a 3 minutos, pois a dada altura consegui desviar o meu olhar e ver o que estava a escrever no papel.

Assustei-me com o que vi, pois tinha imagens na mente que me confundiam e me traziam ansiedade. Com o susto, consegui interromper o que estava a acontecer e assim que o computador desbloqueou, relatei á Cristina o que se tinha passado naquele curto espaço de tempo. Falei-lhe do que tinha sentido, do que tinha visto na mente e no que parecia estar desenhado.

A pedido dela, digitalizei logo o desenho e lho enviei por email, para que ela o pudesse ver. A reacção dela foi parecida com a minha e a confusão, bem como uma chuva de perguntas, inundaram as nossas mentes que ansiavam por respostas e entendimento.

Surgiam-me imagens do que me parecia ser alguém com aspecto exterior de lagarto, misturado com um ser humanóide, com grandes olhos vermelhos e brilhantes. Continuava a sentir-me zonza, muito cansada fisicamente e com vontade de me deixar adormecer. O ambiente continuava com aquela energia muito densa, mas desta vez, além das imagens, ouvia palavras que pareciam pertencer a alguém de fora, pois tenho a certeza de que a voz não era daquela figura que eu via e que tinha desenhado no papel.

“Existem duas sociedades diferentes, independentes uma da outra, mas apenas uma tem conhecimento que a outra existe. Eles são muito mais antigos do que os homens, pois já tinham construído uma civilização quando surgiu pela primeira vez a inteligência no homem. O ser humano habita á superfície e eles habitam em baixo. Não pretendem dar-se a conhecer, pois preferem viver afastados, Iniciaram a vida no interior para sobreviverem ás alterações climáticas que surgiram subitamente e que afectaram todo o planeta de modo agressivo para a vida se poder adaptar naturalmente”.

Esta voz era subtil e calma, mas infelizmente não consegui distinguir se era masculino ou feminino. Não entendo porquê. Momentos depois ouvi a seguinte frase. Esta era firme, masculina, mas não agressiva:

“O subterrâneo dá-nos tudo o que precisamos!”

E o relato continua, mas acho que isto já é o suficiente para terem uma ideia clara e suscinta de um evento deste tipo.

O que acabou por me afectar mais, foi a diferença na percepção de tempo, pois o que para mim foram entre 2 a 3 minutos, para a minha amiga foram 20 a 30 minutos, o que me faz pensar que algo mais aconteceu e que não me consigo lembrar.

Terá este evento sido uma comunicação telepática? Podem os extraterrestres ou sejam lá quem forem, projectar mensagens ou sinais de longa distância? Nos relatos de alguns eventos telepáticos, também está descrita a transmissão de imagens holográficas a distância.

Mesmo que não esteja provado e aceite pelos "criticos", não podemos negar a possibilidade do contacto a longa distância ser real, pois lá porque o ser humano ainda não consegue fazer determinadas coisas, não quer dizer que não sejam possiveis e que outras civilizações não o consigam fazer no seu quotidiano.

Há imensos casos que incluem incidentes nocturnos, nos quais a testemunha é acordada por ouvir o seu nome a ser chamado. Pode também ouvir outros sons, tais como "bips" ou ruídos que despertam a atenção, ou pode também sentir presenças no quarto ou noutro local da casa.

Algumas das testemunhas que escutam o chamamento do nome, muitas vezes descrevem como tendo já andado pela casa ou mesmo do lado de fora da mesma. Eu, por exemplo, já fui acordada a chamarem por mim, para ir para o quintal e ficar lá á espera, como já me chamaram para ir para o corredor, porque estava lá alguém á minha espera, para seguirmos "viagem". Noutras ocasiões, acordei porque senti alguém no quarto e quando abri os olhos, realmente estava lá alguém, mas isso será descrito em outros artigos e com mais calma.

Devido aos extraterrestres aparentarem ter grande domínio da telepatia e de controlo mental, é fácil aceitar que uma manobra mental como esta, à distância, é de facto possivel. Há investigadores que dizem que, porque os abduzidos manifestam alta taxa de habilidades psíquicas durante a sua vida, suspeita-se que estes acontecimentos tenham desenvolvido o cérebro humano, aumentando assim as suas capacidades, que podem funcionar noutras situações diferentes.


Espero que este artigo sirva para uma boa discussão sobre o tema, que cada vez mais, faz parte da nossa realidade, pois anda por aí muita gente a ter este tipo de experiências e que por medo, incompreenção ou vergonha, não relatam a ninguém, ficando assim, muita coisa reprimida. A essas pessoas só tenho a dizer que devem partilhar e desabafar... o número de relatos e acontecimentos comuns é já muito grande para ser recusado como algo a estudar e aceitar.

Yavith

10 comentários:

  1. Um artigo cujo conteúdo ficou muito interessante, apesar de extenso. Se realmente há pessoas a viverem esse tipo de experiencias, entao, algo de muito serio se passa com a Humanidade, pois segundo o artigo, afecta a Humanidade em geral. Afinal qual será o lugar do ser humano no Universo?

    ResponderEliminar
  2. Achei este artigo fantástico e bem estruturado. Pela maneira como a informação foi exposta, deu-me vontade de o ler até ao fim e o relato nele contido está muito curioso.

    Sendo esse acontecimento real, a Humanidade tem ainda muito para descobrir e aprender.

    Parabéns e se tiver mais relatos, por favor, publique para serem lidos.

    ResponderEliminar
  3. gostaria de trocar algumas ideias contigo se fosse possivel... fica aqui o meu mail dex_extreme@hotmail.com

    ResponderEliminar
  4. Olá Dex, o meu email para contacto é: yavith@gmail.com

    ResponderEliminar
  5. eu conheço um ponto de contato e a noite a atividade fica mais extensa depois que fiu lá as coisas mudaram, e sinto e sei que acontecem outras atividades mais complexas e estou procurando interessados para retornar ao local, para buscar os indicios, quando estou lá sou capaz de ver muitas coisas mas quando me retiro me torno confuso pois entendo que quase tudo neste plano que encontra nao é real.
    Estou precisando de ajuda , moro no rio e este lugar é no rio,e lá é um ponto de contato que forma uma tyriade com mais duas regioes, qualquer pessoa dotado de afrinidade com este tipo de atividade perceberá, eu estou sempre pensando em ir ate lá com algumas pessoas especiais e passar uma semana no local anotando e filmando as atividades.procuro amparo ate mesmo proque nao é tão dispendioso realizar isso, e sei que esse periodo eé mais intenso, sinto que as vezes vou explodir de tanta sensação e chamado.
    me ajudem pois acho que deveria conversar com pessoas sobre esse assunto urgentemente e pessoalmente
    ignez.celo@yahoo.com.br

    ResponderEliminar
  6. Estou procurando pessoas que realmente desejam estar em um lugar e encontrar e sentir atividades extra sensorias, e tmabem preciso de ajuda pois desejo investigar este local e sua hiostoria, mas desejaria estaar com pessoas conhecedoras do assunto, desde já agradeço, e peço ajuda.
    ignez.celo@yahoo.com.br

    ResponderEliminar
  7. Marcelo, cuidado com isso de formar grupos, pois facilmente se pode cair no erro de formar seitas.

    Se quer organizar algo sério e fiável, envolvendo varias pessoas, convém antes, fazer uma filtragem das pessoas que eventualmente o poderão contactar.

    Acho que é uma questão de segurança para si, para o local onde pretende ir e é uma forma de assegurar que o que o Marcelo pretende fazer, seja feito sem "contaminações" que mais tarde possam distorcem os factos e o acontecimento em si.

    Eu sou de Portugal e nest momento é onde resido e onde vivo as minhas experiências, algumas relatadas aqui. Sendo de momento impossivel ir ao Brasil, só posso desejar que o Marcelo consiga alcançar esse seu objectivo, mas tenha cuidado, para que nada seja mal utilizado.

    Um abraço para si, deste lado do Atlântico.

    Yavith

    ResponderEliminar
  8. Meu caso não sei se é normal mas, todas as vezes que tento e penso, as pessoas a minha volta escutam!No começo axei que iria ou estava ficando loko, quando escultava as pessoas repetirem tudo que eu pensava elem de olharem para mim!!!Foi quando amigos que vieram me disseram que estvam ecultando meus pensamentos!Tive um grande e serto alivio mas, do outro lado fiquei assustado mais do que devia!rs...
    Agora estou desesperado para curar ou fezer parar tudo isso!Esta arruinando minha vida!Meu trabalho!Tudo que possa imaginar!Estou deixando este depoimento, na certeza de que alguem pode me ajdar!Não sei oque faço mais, mas para confirmar isto farei de tudo que for possivel!Meu Email é este:tiago-nippon@hotmail.com!Espero que alguem leia esta mensagem!OBRIGADO!

    ResponderEliminar
  9. Tiago,

    o que relata tem a haver com uma capacidade sua, que é perfeitamente natural, que é a Telepatia.

    Não é algo que deva temer, muito pelo contrário. Faz parte de si, da sua natureza e por isso, deve aceitar como sendo algo natural que é seu e que pode muito bem ser controlado e "polido".

    Para que essa sua capacidade não o continue a afectar negativamente, convém aprender a lidar com ela... é o Tiago que a tem que controlar, para não ser controlado.

    Encare isso como sendo um motivo para se conhecer melhor, para olhar para si. Não rejeite algo que faz parte de si ou será mais traumático e mais complicado de lidar. Aceite e lide com isso com calma e tranquilidade, pois é algo natural, tal como a energia que geramos através das células do corpo.

    Procure alguém, profissional, que o possa orientar e ensinar como lidar com a Telepatia. Isso não é uma doença! É uma ferramenta de cura e de consciencialização.

    Atentamente,
    Yavith

    ResponderEliminar
  10. Se possivel como poderia apredera telepatia, é algu que eu me enteresso muito.meu MSN:alan_almeida_18@hotmail.com

    ResponderEliminar