quarta-feira, 13 de maio de 2009

Um historial antigo de contactos entre seres humanos e seres vindos de outros locais (2ª parte)

No seguimento do primeiro artigo sobre este tema, segue mais uma lista de registos e histórias antigas de contactos com outras civilizações ao longo da nossa história:

Nos anais de Tutmés III, cerca de 1504 a 1450, antes de Cristo, escribas viram no céu círculos de fogo que, em seguida, subiram mais alto e dirigiram-se para o sul.

Por volta de 1.500 AC, no cume do Himalaia, Manu sobreviveu ao dilúvio e visionou Brama.

Em 163 AC, em Concius, um homem foi queimado por um raio que veio de um espelho no céu.

Em 204 AC, apareceram dois anjos resplandecentes no céu, de aparência pavorosa e paralisaram o exército egípcio de Ptolomeu IV, quando ele resolveu matar os judeus. O Livro dos Mortos, do antigo Egipto, fala em "legiões no céu", "espíritos da luz" e "seres brilhantes".

Em 214 AC, em Hádria, no Golfo de Veneza, houve um estranho espectáculo. Surgiu um homem vestido de branco sobre um altar no céu. (Julius Obsequens e Tito Livius em história romana - Liv. 21- Cap. 62) Os avistamentos de altares no céu, nada mais eram do que tripulantes vistos em OVNI´s em voo, tendo uma parte transparente que permitia ver o interior do mesmo.

Pandoro escreveu, em 400 AC, sobre os Egregori (guardas-anjos) que desceram à Terra no ano cósmico 1.000.

Osíris, Ísis e Hórus eram representados como disco solar, como também eram comuns os barcos solares egípcios.

"É a segunda vez que me foi dirigida a palavra do senhor a qual dizia: Que vês tu? E respondi: Vejo uma panela a ferver que vem da banda do Aquilão." (Jeremias-1.13)

"Levantei de novo os olhos e eis que havia um rolo que voava, o qual tinha 200 côvados de comprimento e 10 côvados de largura." (Zacarias - Liv. 1 - 5.1.-2.)

"Parou pois, o sol no meio do céu e não se apressou a pôr-se durante o espaço de um dia." (Livro de Josué).

Hamurabi, na Babilónia, recebeu as famosas leis do Deus Sámas, numa montanha. Minos, fundador de Cnossos, recebeu as leis cretenses, também de um Deus, num monte sagrado.

Em 550 AC, Zoroastro, numa caverna que foi banhada em fogo (luz), teve um contacto com Ahura Mazda (Dono da Luz) e fundou o Zoroastrismo.

Em 14, um moribundo contou a seguinte história a São Tomás de Villanueva, Arcebispo de Valência: Eu era judeu, tendo sido rigorosamente educado de acordo com as leis judaicas. Estávamos três a passear, quando subitamente, o céu se abriu como uma cortina. Ficamos assustadíssimos, pois nenhum de nós havia visto um espectáculo dessa natureza. Então, surgiu no ar um cálice de ouro com uma hóstia branca sobre ele. (Aparições - Erich Von Daniken). Os contactos sempre foram interpretados com um caracter religioso. Hoje em dia, em meios rurais, há quem descreva um OVNI com a expressão: "parecia um ostensório", que é um objecto usado na religião apostólica romana.

Julius Obsequens, em Prodigiorum Libellus, cita que em Capua o sol brilhou à noite. E Tito Livius escreveu que em Albae viram-se dois sóis à noite. Em De Divination, Cícero fala sobre dois sóis e três luas vistas no céu.

Em 312 DC, surgiu uma cruz no céu, quando o imperador Constantino aceitou o Cristianismo, no Império Romano.

Em 436 DC, em Bizâncio, após fortes tremores de terra, uma criança sobe ao céu e volta, a vista de muitas pessoas. Facto semelhante ao que aconteceu com o Papa São Gregório, em 589 DC, cognominado o Grande, em Roma, quando se escondeu numa caverna e foi descoberto por um clarão. E ali ele viu anjos a subirem e a descerem por um espectro.

Em 610 DC, Maomé visionou o anjo de Alá que lhe mostrou uma tabuinha de ouro, nas montanhas próximas à Meca, daí criando o Islamismo.

No ano de 776, os franceses, dentro do castelo de Sigibut, estavam sitiados pelos saxões. No entanto, foram salvos quando surgiram sobre a igreja da fortaleza “dois escudos vermelhos” no céu. E assim os saxões fugiram. (Annales Laurissense).

Em 1099 DC, os cruzados, sitiando Jerusalém, viram um cavaleiro agitando o escudo brilhante sobre o Monte das Oliveiras, ordenando para atacarem novamente.

As crónicas do ano 1120, do monge Mateus de Paris, falam de “uma cruz voadora” sobre o santo sepulcro. (Hist. Anglorum) No ano de 1200, também foi vista uma cruz no céu sobre Jerusalém.

Em 1463, Catarina de Bolonha, na Itália, viu o Senhor sentado num trono resplandecente.

Em 1528, no cerco de Utrech, foi vista uma cruz de Borgonha, de cor amarela, no céu da Holanda. Em Dezembro de 1631, perto de Nápoles, a pairar sobre um campo de trigo, a "Rainha dos céus", apareceu a vários jesuítas, para anunciar a iminente erupção do Vesúvio. (Aparições - Erich von Daniken).

A 04 de Novembro de 1799, na Cumana, Venezuela, houve um terramoto, tendo sido observadas várias bolas vermelhas no céu.

Em 1800, nos Estados Unidos, Joseph Smith visionou o anjo Moroni, que surgiu no seu quarto, envolto numa luminosidade e depois o viu subir num poço de luz. Posteriormente, em outros contactos, fora lhe indicado um local onde se encontraram as tabuinhas de ouro que lhe deram noções para criar a religião Mórmon.

Em Setembro de 1914, em La Marne, França, quando estava em curso a grande batalha do Rio Marne, muitos soldados alemães observaram no céu, uma dama de branco que impediu o seu avanço. (Aparições - Erich Von Daniken).

A 13 de Outubro de 1917, em Fátima, Portugal, 70.000 pessoas presenciaram o milagre do sol. Estava a chover, quando o sol apareceu através das nuvens. Parecia um disco achatado, com um contorno nitidamente definido. Tinha um brilho mutante e, de repente, começou a fazer manobras e a rodar com crescente velocidade. Começou a cair e logo aquilo, avermelhando-se, manobrou e desapareceu nas nuvens.

Em Dezembro de 1933, a Sra. Van Nieke Van Den Diji, em Onkerzeele, Bélgica, viu um sol verde e vermelho a girar.

No dia 15 de Abril de 1950, em Casalicchio, a Aquivava, na Itália, milhares de espectadores dizem ter observado uma nuvem que se abriu e em cujo centro havia uma estrela de brilho opaco e, respectivamente, um sol a girar e a brilhar em todas as cores.

A 30 de Outubro de 1950, segundo o relato expresso do Cardeal Todeschini, por várias vezes o Papa Pio XII viu nos jardins do Vaticano o sol a girar, semelhante ao milagre do sol de Fátima.

Em 1950, um observador da zona rural, contou que viu um objecto pousado a emitir intensa luminosidade. Ele tinha a forma de um "chapéu" e, no local onde seria a copa, tinha uma cúpula transparente e lá ele viu um ser assentado com as mãos no queixo e os cotovelos apoiados nas pernas e disse que aquilo era uma assombração.

Em 1954, uma patrulha de discos voadores sobrevoa Roma, fazendo evoluções e ao final, forma uma cruz sobre a basílica de São Pedro, no dia do aniversário da revolução Comunista.

A 26 de Setembro de 1954, foram vistos durante um terramoto, objectos voadores desconhecidos, que pairavam no espaço. Também no dia 11 de Fevereiro de 1957, em Leicestershire, Inglaterra, foram vistos no céu objectos identicos, durante um terramoto.

Fonte: www.misteriosantigos.com/

As histórias e relatos continuam numa lista quase infindavel, até aos dias de hoje. Quando faço uma recolha destes relatos, não deixo de pensar que nós, seres humanos, temos estado a ser observados desde o inicio da nossa civilização. Observam-nos durante as nossas guerras e confrontos, observam-nos em casos de catástrofes naturais e provocadas por nós mesmos, observam-nos nas nossas viagens ao espaço e nas nossas viagens pelo mar, etc. Parece que estão sempre presentes nos momentos mais marcantes da nossa história.

Actualmente, como estamos noutra fase de mudanças, fisicas e espirituais, temos estado novamente sob a sua observação. Na realidade, acredito que nunca deixaram de nos observar. Apenas se afastam mais em certos periodos, calculados préviamente.

Annael tem me dito que eles têm vindo a nos acompanhar ao longo da nossa permanencia aqui. Ao longo do nosso crescimento e evolução. Que a forma de sermos contactados alterou no passado, por motivos que já expliquei noutros artigos. Lendo os relatos da nossa história, vejo que isso é verdade... sendo verdade, então não estou a viver uma fantasia. Algo acontece na realidade. Não vejo isso só pelas evidências fisicas, mas vejo também pelos documentos antigos e registos de pessoas que viveram o mesmo.

Acredito que nesta fase em que nos encontramos, a verdade da nossa origem e do nosso lugar no Universo, nos será abertamente e activamente revelada. Cada vez mais sinto que isso está próximo e que nós, como um Todo, estamos a ser preparados aos poucos para essa nova realidade, de modo a não haver um choque muito grande e para não haver uma reacção agressiva da nossa parte. Somos um povo guerreiro, que pelas suas emoções se pode tornar perigoso e instável. Acredito realmente que eles sabem o que fazem e como o devem fazer. Annael transmite-me isso durante os nossos contactos.

2 comentários:

  1. Basta ver nas gravuras e pinturas antigas, as imagens bem alusivas á sua presença na Terra. Estamos aqui por algum motivo. Estamos aqui para algum propósito.

    Sempre tivemos acompanhados e nunca sozinhos, como nos querem fazer acreditar.

    Gosto deste blog e do seu conteúdo. Parabéns pela coragem.

    André

    ResponderEliminar
  2. Olá André.

    A nossa história tem uma longa lista de registos de contactos com outras civilizações e com entidades cuja consciencia é muito superior á nossa.

    Digo consciência, porque não é a tecnologia que define o estágio de evolução. Tecnologia é um "bem" adquirido durante o processo de crescimento da sociedade.

    A consciência, mais concretamente, a consciencia colectiva, é que define o real estágio dessa civilização.

    Todos os povos do passado deixaram-nos registos escritos sobre esses contactos, com os quais receberam conhecimento sobre quase tudo. Até conhecimento tecnológico que com o tempo, se perdeu por algum motivo.

    Ainda temos muito que aprender e ainda temos um longo caminho para percorrer.

    Yavith

    ResponderEliminar